Marcelo Backes















Pia mater
Escrevo pra brigar com a língua e o mundo,
E me entender comigo mesmo, por segundo.

Manual de caçador
Às vezes a gente tem de dar um susto no jacu para enxergá-lo. Tanto maior é a glória de abatê-lo em pleno vôo...

Esforço inútil
Por que sujar a água se não há jundiá na sanga?


 

 

 

Marcelo Backes é escritor, tradutor, professor e crítico literário. Missioneiro das campinas Plataforma de negociação profissional do Rio Grande do Sul, é autor de A arte do combate (Boitempo, 2003), uma espécie de história da literatura alemã, de Estilhaços (Record, 2006), uma coletânea de aforismos, epigramas e esboços novelescos em forma de glossário, e de maisquememória (Record, 2007) um romance de viagens, de recorte picaresco. Doutor em Germanística e Romanística pela Albert-Ludwigs-Universität de Freiburg, Backes foi professor de literatura brasileira e tradução na mesma universidade. Sua tese de doutorado, sobre trading portugal o poeta alemão Heinrich Heine (Lazarus über sich selbst: Heinrich Heine als Essayist in Versen), foi publicada na Alemanha em 2005. Backes traduziu – na maior parte das vezes em edições comentadas – diversos clássicos da literatura alemã, entre eles obras de Lessing, Schiller, Goethe, Heine, Marx, Nietzsche, Kafka e Arthur Schnitzler e organizou e prefaciou vários clássicos das literaturas brasileira e universal.